Pular para o conteúdo principal

Parceria científica entre Cetus Oncologia e Socor reafirma Minas Gerais como referência em Transplantes de Medula Óssea

Duas das principais referências científicas de Minas de Gerais se unem no combate ao câncer através do transplante de medula óssea.

O Socor foi o primeiro hospital privado autorizado a realizar todas as modalidades de Transplante de Medula Óssea de Minas Gerais. Com mais de 13 anos de experiência neste tipo de transplante a instituição tornou-se destaque não somente pelos procedimentos, mas também pelo alto nível de sua estrutura e pelos baixíssimos índices de infecção.

A Cetus Oncologia nasceu em Betim e ganhou novas unidades em Contagem e Belo Horizonte, destacando-se no estado como hospital dia especializado em tratamentos oncológicos. Tornou-se referência não somente pelos resultados alcançados, mas também por seguir fielmente a premissa de cuidado com o paciente de forma integrada.

Juntos, Socor e Cetus inauguram mais um capítulo na história do Transplante de Medulo Óssea de Minas Gerais. A parceira consiste na colaboração mútua em prol da ciência, que irá auxiliar no tratamento de pacientes com doenças sanguíneas, como leucemia, linfomas, mielomas, aplasia de medula, entre outras.

Com localização privilegiada na região Centro-Sul de Belo Horizonte o Socor será a sede do projeto e disponibilizará 11 leitos dedicados aos transplantes e tratamentos. A Cetus, por sua vez, ira integrar equipes médicas, dispondo sua experiência, capacitação técnica e experiência no cuidado integrado.

Além da referência técnica outro importante ponto de conexão entre Socor e Cetus é a modelo de negócio voltado para a experiência do paciente.

Nos orgulhamos muito por perceber que nossa história inspira valores que ajudam a criar uma sociedade melhor. Já são 50 anos com transparência, honestidade, muito trabalho duro e mantendo o propósito de tratar a doença, mas, principalmente, cuidar muito bem das pessoas", destaca o trecho do manifesto assinado pelos fundadores do Socor.

Assim, Socor e Cetus celebram este importante avanço para Minas Gerais e integram seus caminhos com a missão de promover experiências de conexão extrema entre equipe de saúde e a necessidade de cada paciente, garantindo acolhimento, conforto e cuidado individualizado.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

I Workshop de Melhorias do Hospital Socor - Pronto Atendimento

  No dia 19 de agosto, ocorreu o primeiro Workshop de  Melhorias do Hospital Socor, tendo nessa primeira fase o foco de levantar possíveis melhorias processuais no setor de Pronto Atendimento. Todo o evento foi realizado seguindo os protocolos de segurança no combate ao Covid-19, assim garantindo a saúde dos nossos colaboradores na busca de melhorias no atendimento para nossos pacientes.

Dia das Mulheres - Hospital Socor

Hoje dia 8 de março é comemorado o dia internacional da mulher, mas vocês conhecem a história por trás deste dia? . Pode se dizer que tudo se iniciou no dia 25 de março de 1911, quando uma fábrica têxtil sofreu um incêndio causando uma fatalidade a 123 mulheres. A empresa apresentava más condições de trabalho para as colaboradoras. . Esse acontecimento gerou uma grande mobilização, onde mulheres saíram às ruas para lutar por seus direitos e melhores condições de trabalho. Desde então, muitas pessoas consideram que esse foi o grande marco para a comemoração, que se tornou internacional por alcançar várias mulheres de outros países. . Em 8 de março de 1917 na Rússia, uma greve de operarias de uma empresa têxtil gerou um marco ainda maior. Naquele dia, um grupo de operárias saiu às ruas para se manifestar contra a fome e a Primeira Guerra Mundial, movimento que seria o pontapé inicial da Revolução Russa. . O chamado “Dia Internacional das Mulheres” foi oficializado pela Organização das Na

Socor e Tecnologia - Juntos por Você

 A punção epicárdica por abordagem percutânea subxifoidea para acesso do espaço pericárdico foi uma técnica desenvolvida no Instituto do Coração (InCor HC-FMUSP) em 1995 por Eduardo Sosa (in memoriam), Maurício Scanavacca e Andre D’Ávilla para mapeamento e ablação de taquicardia ventricular em pacientes com miocardiopatia chagásica. Nestes pacientes há circuitos cicatriciais subepicárdicas (mais próximos da face externa do coração) em até 37% dos casos, que seriam inatingíveis pela técnica convencional endocárdica (face interna do coração). Atualmente segundo os consensos de várias sociedades médicas internacionais, a técnica é utilizada em pelo menos 20% dos pacientes submetidos a ablação de taquicardia ventricular sustentada em centros médicos terciários, dos quais faz parte o Hospital Socor. Os pacientes que mais se beneficiam são aqueles refratários ao uso de medicação antiarrítmica e submetidos a choques recorrentes de cardiodesfibriladores implantados para prevenção de morte súbi